#1 Cientista Político/a

O cientista político é aquele que estuda o funcionamento das instituições e dos movimentos políticos, nomeadamente a sua origem e desenvolvimento. Desta forma, analisa também o comportamento individual, de grupos e de massas, estudando a formação e evolução dos regimes políticos.

Por essa razão, as suas tarefas são de pesquisa sobre forças sociais, leis ou instituições, podendo também planear e executar atividades políticas. Ter apetência por trabalhos de investigação e análise é, como tal, essencial, bem como interesse em temas de atualidade política e o acompanhamento diário da realidade política nacional e internacional.

Capacidade de comunicação, conhecimentos de História, boa cultura geral e um bom domínio da língua podem também fazer a diferença.

 

#2 Economista

 

pexels photo 3184639

 

Pesquisar e analisar o modo como a sociedade utiliza recursos (que são, por vezes, escassos). Este é o principal objetivo de um economista, sendo que, para tal, desenvolve teorias sobre a produção, a distribuição e o consumo de bens e serviços.

Nesta missão, as suas tarefas passam também pela compreensão e definição do funcionamento do mercado nacional e internacional, apresentando soluções para problemas atuais ou futuros.

Pode trabalhar em várias áreas – indústria, finanças públicas, setor agrícola ou setor privado, por exemplo. Capacidade de análise e de trabalho em equipa será um importante requisito, bem como de compreensão das variações da realidade social e humana.

Destaque ainda para os conhecimentos de Matemática, Estatística e Ciência Económica, o domínio de línguas estrangeiras e de diversos recursos informáticos.

 

#3 Engenheiro/a do Ambiente

 

pexels photo 1078879

 

Esta é a profissão ideal para quem procura mudar o mundo combatendo a poluição. O engenheiro ou engenheira do ambiente elabora planos de impacto ambiental, ou seja, estuda e avalia as consequências de certas atividades para o meio ambiente.

Esta atividade é realizada em vários contextos profissionais: indústria, investigação científica ou políticas públicas, por exemplo. Identificadas as consequências da ação humana, este profissional desenvolve planos de intervenção, com vista a melhoria das condições dos ecossistemas e das populações locais.

Como tal, o gosto pela natureza é obrigatório, tal como é a capacidade de análise e de comunicação oral e escrita. Ter resiliência e tenacidade para implementar soluções multidisciplinares (que envolvem diferentes fatores) poderá também ser uma característica determinante.

 

#4 Juiz/a

 

hammer 719066 1920

 

Ao juiz ou juíza, cabe analisar e decidir o resultado de conflitos de interesse entre os cidadãos ou entre estes e o Estado. Uma vez que a sua decisão é soberana, estes profissionais têm o dever de ser justos e imparciais nos julgamentos, com a preocupação de salvaguardar os direitos de todos os envolvidos.

Na sua atividade, um juiz ou juíza preside julgamentos/audiências, analisa e avalia provas e identifica testemunhas (decidindo se são válidas), aplicando as leis e garantindo os cumprimentos de todas as regras e procedimentos.

Para seres juiz ou juíza, necessitas de ter uma licenciatura em Direito e ser admitido no Centro de Estudos Judiciários (CEJ), para fazer uma formação específica.

Capacidade de estudo e de trabalho, de decisão, rigor, objetividade, controlo emocional, trabalho em equipa e atenção à realidade social são as competências pessoais mais requisitadas.

 

#5 Sociólogo/a

 

man student 4299342 960 720

 

Algumas das áreas de atividade de um sociólogo ou socióloga dizem diretamente respeito à pobreza ou a exclusão social. Para tal, estes profissionais estudam o comportamento de comunidades e segmentos da população, procurando os principais fenómenos que afetam diretamente as suas vidas.

De forma geral, trabalhar nesta área é apresentar um retrato da sociedade, com o objetivo de encontrar problemas e aplicar soluções. Gerir recursos humanos, participar em formação profissional, desenvolver projetos de intervenção social ou contribuir para a criação de políticas culturais/sociais são apenas alguns exemplos de atividades através das quais esta missão é cumprida.

Ser objetivo, ter gosto pela investigação e evitar respostas fáceis para problemas sociais será importante, bem como ter conhecimentos nas áreas de História, Economia ou Psicologia, aptidão para números e estatística, competências orais e escritas e domínio de ferramentas informáticas.

 

 

#6 Diplomata

handshake 4229703 960 720

Um ou uma diplomata executa a política externa de um estado, defendendo internacionalmente os seus interesses políticos, económicos e culturais. Proteger os direitos dos cidadãos portugueses no estrangeiro, comunicar informações sobre determinado país ou produzir acordos de cooperação são alguns exemplos de tarefas envolvidas no trabalho dos e das diplomatas nacionais. 

Para te tornares diplomata, necessitas de ter uma licenciatura e candidatares-te ao Concurso de Acesso à Carreira Diplomática, da responsabilidade do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O acesso a esta carreira é feito por concurso público e realiza-se sempre pela categoria de adido de embaixada. Nesta profissão, necessitarás de estar informado sobre a realidade internacional, ser versátil, sensível às diferenças culturais, ter conhecimentos de línguas e capacidade de comunicação, bem como ser metódico e organizado.