Trata-se de uma ferramenta em linha gratuita da Comissão Europeia que ajuda as escolas a avaliar e melhorar as formas como utilizam a tecnologia para o ensino e a aprendizagem. Mais de 450 000 estudantes, professores e dirigentes escolares em 45 países já estão a utilizar a ferramenta e este número deverá ultrapassar os 500 mil até ao final de 2019. 

Tibor Navracsics, comissário da Educação, Cultura, Juventude e Desporto, que tutela o Centro Comum de Investigação, congratula-se com o facto de a ferramenta SELFIE estar a ser utilizada em tantas escolas tão diversas, "ajudando os professores e os estudantes a debater a melhor forma de utilizar as novas tecnologias no ensino e na aprendizagem e reforçando as respetivas competências digitais. As próprias escolas são organizações aprendentes e, com a SELFIE, podem avaliar em que ponto se encontram no respetivo percurso digital e definir as etapas seguintes". 

A SELFIE está a ser constantemente melhorada através de testes dos utilizadores e da recolha de observações da parte das escolas. As novas características incluem um guia em vídeo para as escolas sobre a configuração e a personalização da ferramenta e a possibilidade de comparar os resultados obtidos com a SELFIE em exercícios anteriores na mesma escola. A Comissão Europeia está também a organizar ações de sensibilização e de informação junto das escolas, incentivando-as a adotarem a ferramenta, por exemplo, através da eTwinning, a maior plataforma de professores do mundo, e da Semana Europeia da Programação. Em 2020, serão desenvolvidos mais materiais de apoio e formação, incluindo um curso em linha aberto a todos para as escolas sobre a SELFIE e a forma como os seus resultados podem ser utilizados pelos professores para melhorar o ensino e a aprendizagem com o apoio das tecnologias digitais. Também está previsto ter uma versão da SELFIE para o ensino e a formação profissionais em janeiro de 2020.

Financiada através do programa Erasmus+, a SELFIE envolve toda a comunidade escolar — professores, dirigentes escolares e estudantes — na reflexão sobre uma série de perguntas e afirmações sobre a utilização da tecnologia em seis domínios, incluindo as competências digitais dos estudantes, o desenvolvimento profissional dos professores, as infraestruturas e a direção da escola. A participação é voluntária. Cada escola pode configurar as perguntas em função das suas necessidades, escolhendo entre as afirmações facultativas e acrescentando as suas próprias perguntas. Logo que os estudantes, os professores e os dirigentes escolares tenham respondido, a escola recebe um relatório personalizado com dados e informações pertinentes. Estes resultados podem ajudar uma escola a ver o que está a funcionar bem e menos bem e a identificar os domínios em que é necessário agir (por exemplo, se os professores estão satisfeitos com a formação que recebem; que parte da infraestrutura os estudantes gostariam que melhorasse; se a escola tem uma visão estratégica de como pretende utilizar a tecnologia e, em caso afirmativo, se essa visão foi comunicada ao pessoal e aos alunos).

A SELFIE foi desenvolvida pela Comissão com uma equipa de peritos em educação de toda a Europa e está disponível em 31 línguas (além das 24 línguas oficiais da UE, albanês, georgiano, macedónio, sérvio, montenegrino, russo e turco). Pode ser utilizada nos estabelecimentos de ensino primário, secundário e profissional e nas escolas de formação. É uma das 11 iniciativas do Plano de Ação para a Educação Digital adotado pela Comissão em janeiro de 2018 e que decorre até ao final de 2020. O plano de ação visa incentivar as competências digitais na Europa e apoiar a utilização inovadora das tecnologias digitais no ensino e na aprendizagem. É uma das várias iniciativas da Comissão que estabelecem as bases de um Espaço Europeu da Educação.