Criada em 1997, a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) é a agência pública nacional para o financiamento da investigação em ciência, tecnologia e inovação. Os apoios que a FCT promove estão abertos a investigadores de qualquer nacionalidade, em todas as áreas do conhecimento.

A FCT apoia a comunidade científica em Portugal através de diferentes instrumentos de financiamento, “dirigidos a cientistas, equipas de investigação e centros de I&D” explica-se no site deste organismo sob a tutela do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Através destes instrumentos, a FCT apoia “a formação avançada, a investigação e desenvolvimento, a criação de infraestruturas de investigação e o acesso às mesmas, promover redes e colaborações internacionais, conferências, comunicação de ciência e interagir com as empresas”, acrescenta a mesma fonte.

 

charts computer data 669621

 

A FCT apoia diretamente a I&D, através de programas específicos integrados em diferentes categorias: da Formação Avançada (bolsas) ao Emprego Científico (contratos) – que, em 2016, juntos representaram a maior quota de investimento (43%).

Na lista de apoios estão ainda os Projetos de I&D (em todos os domínios científicos), Instituições de I&D (laboratórios associados e unidades de I&D, num total 307 unidades, onde trabalham cerca de 22 mil investigadores), Cooperação Internacional (cooperação bilateral, quotas em organizações internacionais e parcerias internacionais, com destaque para o atual programa Horizonte 2020) e ainda outras atividades, tendo em vista a promoção da cultura científica.

 

Bolsas no bolso

Existem diferentes tipos de financiamento, a começar por bolsas de doutoramento e pós-doutoramento - atribuídas em concursos com candidaturas individuais. Aqui estão incluídas bolsas de doutoramento em empresas e outros tipos de bolsas para licenciados, em diferentes fases da carreira.

Segundos os dados estatísticos mais recentes, as três áreas do saber com maior número de bolsas atribuídas são as Ciências de Engenharia e Tecnologia (25%), as Ciências Sociais (17%) e as Ciências Naturais (17%). Os bolseiros encontram-se predominantemente (51%) na faixa etária entre os 25-30 anos. A maioria é do sexo feminino e concentra-se na região de Lisboa e Vale do Tejo (45%).

 


 

Os diferentes financiamentos dos Programas de Doutoramento:
Nacional – o programa inclui no mínimo uma universidade ou instituto universitário
e uma instituição de I&D registada na FCT, ambos portugueses.

Ambiente Empresarial – o programa inclui no mínimo uma universidade ou um instituto
universitário português, uma unidade de I&D portuguesa registada na FCT e uma empresa
com atividade significativa de I&D.

Internacional – o programa inclui no mínimo uma universidade ou um instituto universitário
português, uma unidade de I&D portuguesa registada na FCT e uma instituição de ensino
superior ou uma unidade de I&D estrangeira.


 

 

Estímulo ao Emprego

Na sua missão, a FCT entende como prioritária uma política de emprego científico que “assegura a integração de investigadores altamente qualificados e internacionalmente competitivos nas instituições de I&D nacionais”. Por essa razão, dinamiza vários programas de contratação de Doutorados de qualquer nacionalidade, em todas as áreas do conhecimento.

É disso exemplo o atual programa de Estímulo ao Emprego Científico (Individual e Institucional). De acordo com a FCT, estes apoios financeiros, para além de contribuírem para o rejuvenescimento das instituições científicas e para a mobilidade internacional, reforçam o sistema científico e tecnológico nacional, “promovendo oportunidades de emprego para doutores, facilitando a formalização do emprego científico e contribuindo para a maior atratividade nacional para jovens altamente qualificados”.

 

Programas de doutoramento

O financiamento dos Programas de Doutoramento FCT assume diferentes modalidades (ver caixa) e tem a duração de quatro anos, dependendo a sua continuação de decisão da FCT, mediante parecer da Comissão de Avaliação dos Programas de Doutoramento. Estes programas abrangem não só Bolsas de Doutoramento (nacionais ou mistas) de três ou quatro anos (máximo) e/ou Bolsas de Investigação Científica (BIC) com a duração máxima de um ano, mas também cursos avançados, rotações laboratoriais ou outros trabalhos de campo.