No âmbito da Conferência Nacional de Jovens, que decorreu nos dias 13 e 14 de junho, em Lisboa, 28 delegados em representação de 7.500 estudantes entre os 13 e 16 anos, marcaram presença, esta terça-feira, na Assembleia da República para dialogar com deputados da Comissão de Educação e Ciência sobre problemáticas ambientais.

O encontro, que juntou a comunidade estudantil, professores e representantes dos principais partidos políticos portugueses, teve como ponto alto a leitura e entrega de uma Carta de Corresponsabilização, redigida pelo grupo de estudantes, e um Manifesto Político “A voz dos jovens como parte da solução”, onde expressaram preocupações e aspirações ambientais para o país e Mundo.

“Durante a preparação desta conferência, nas nossas escolas, detetamos muitos problemas socio ambientais em cada comunidade. Assim, tentamos encontrar soluções sabendo que é possível reparar a situação do planeta com um esforço individual e compromisso coletivo – nosso, dos estudantes, mas também dos decisores políticos”, assinalaram os estudantes portugueses, na carta de corresponsabilização redigida.


Na presença de representantes dos vários partidos, os jovens apelaram a que os responsáveis e decisores políticos se comprometessem, entre outras ações, a “dar voz e a ouvir os estudantes; promover iniciativas parlamentares e tomar medidas de apoio a ações em prol das necessidades das comunidades; reforçar o apoio às escolas para implementação de projetos de Educação Ambiental; aumentar o orçamento destinado às escolas que reforcem compromissos ambientais nos seus projetos educativos; incentivar à reflorestação de árvores autóctones e proteção do arvoredo urbano; repor o cargo de Guarda-Florestal”.

Presente na audiência em representação do Partido Socialista, a deputada Rosa Venâncio teceu elogios à ação participativa dos jovens. “É com grande honra que estou aqui a representar o grupo parlamentar e, sobretudo, faço-o com grande esperança no futuro ao ver tantos jovens a desafiarem-nos com uma carta de compromisso e recomendações”.


"A Educação Ambiental é compromisso e ação, que passa pela
responsabilidade individual e pelos compromissos coletivos"


Em representação do Partido Social Democrata, a deputada Inês Barroso declarou que “todos os grupos parlamentares, independentemente do partido que representam nesta casa, estão a trabalhar no sentido de serem tomadas medidas. Muitos de nós estamos a trabalhar nomeadamente pela redução do plástico, sabemos que tem sido muito criminoso nos Oceanos e linhas de água do nosso planeta”. A deputada referiu ainda que “quem faz a diferença são vocês dialogando com a vossa escola, junta de freguesia, e câmara municipal e, obviamente, com os vossos deputados”.

Para o presidente da Associação Portuguesa de Educação Ambiental, Joaquim Ramos Pinto, a iniciativa representa um passo em frente, reconhecendo a voz dos jovens como parte da solução contribuindo para o debate e decisões políticas. “Esta iniciativa vem mostrar que a Educação Ambiental é uma ação política, e não é uma atividade que é desenvolvida apenas num dia de comemoração de uma efeméride. A Educação Ambiental é compromisso e ação, que passa pela responsabilidade individual e pelos compromissos coletivos, devendo ser um processo de continuidade nos projetos e planos das escolas”, defende o presidente da ASPEA.

Para mais informações clica aqui.