21 885 47 30 | geral@forum.pt

A companhia mala voadora apresenta peça teatral, de 29 de maio a 1 de junho, no Grande Auditório da Culturgest. É um remake da famosa série norte-americana 'Dallas'. 

Em DINH€IRO, as figuras que os países exibem orgulhosamente nas suas notas – paisagens idílicas, animais exóticos, monumentos sumptuosos – servem de cenário a este remake. Um mundo onde tudo é deslizante. Onde tudo pode ser vencido rumo ao deleite, ao ouro, ao petróleo, aos iates, às festas, às brands. Onde tudo é permitido aos protagonistas. Incluindo matar. DINH€IRO é também um espetáculo com catanas, jagunços, cangaceiros e muito sangue a manchar os fatos. 

O espetáculo, escrito e dirigido por Jorge Andrade, que também está em palco, conta com as interpretações de Bruno Huca, Isabél Zuua, Joana Bárcia, Maria Jorge, Marco Paiva, Miguel Damião, Rui Monteiro, Sílvia Filipe e Tânia Alves. Depois da estreia nacional, no DDD+FITEI, no Auditório Municipal de Gaia, DINH€IRO chega agora à Culturgest, em Lisboa. Os bilhetes custam entre 6€ (com descontos) e 12€.

A mala voadora foi fundada por Jorge Andrade e José Capela e estreou o seu primeiro espetáculo em 2003. Desde então, produziu 41 espetáculos e apresentou o seu trabalho em países como Alemanha, Bélgica, Bósnia Herzegovina, Brasil, Cabo Verde, Escócia, Estados Unidos da América, Finlândia, França, Grécia, Inglaterra, Líbano, Luxemburgo e Polónia. O trabalho da companhia tem sido distinguido com prémios, menções honrosas e nomeações de múltiplas instituições.

(Foto de António MV)

Pub ENEGI2019
Pub FCH_2019
Pub IPSantarem
Últimas - Artes
Artes
19 Agosto 2019

Sob a direcção artística de Luis de Matos, 15 artistas, de 6 países, apresentarão 168 espetáculos em 12 locais da cidade. Tudo entre 27 de agosto e 1 de setembro.

Artes
19 Agosto 2019

Leonor Grácias apresenta o primeiro livro sobre o tema, "Manual de Cosplay", no evento Comic Con Portugal, no dia 13 de setembro, no Passeio Marítimo de Algés.

Artes
26 Julho 2019

'A Morte de Danton', de Georg Büchner, assinala a primeira encenação de Nuno Cardoso enquanto diretor artístico da instituição. Estreia em setembro.