21 885 47 30 | geral@forum.pt

Drydrill, as bicicletas que nasceram com o objectivo de satisfazer a necessidade de sentimento de exclusividade que cada vez mais surge em cada um de nós.

Foi com este propósito que nos finais do ano de 2010 pela mão de Henrique Pinho, de 41 anos, que, depois de ter estudado arquitetura e desenhado lojas da Salsa um pouco por todo o país, decidiu desenvolver um conceito próprio, que retivesse os seus valores enquanto pessoa - no fundo, a sua identidade.

Foram estas as premissas que alimentaram a criação da DryDrill, uma empresa portuguesa que veio transformar uma simples bicicleta num acessório de moda e numa marca de identidade.

As Fixed Gear são bicicletas personalizadas com peças exclusivas, e refletem o caráter individual do público amplo a que se destina, dando assim a possibilidade de as personalizar. Para a construção destes veículos, a DryDrill utiliza os seus materiais mas tem também parcerias com empresas que são referencias nesta atividade, o que oferece à empresa "uma flexibilidade" que, tradicionalmente, não existe.

DSC_0021_.jpg.scaled1000

O preço a pagar é variado, até porque a DryDrill não vende as bicicletas completas sendo que o valor ronda os 680 euros mais portes de envio, revela o proprietário, que acrescenta que o custo de "uma bicicleta pronta se pode iniciar nos 1.250 euros".

No entanto, de acordo com Henrique Pinho, tudo "depende do tipo de material que for colocado" e, também neste momento, a decisão está inteiramente nas mãos de quem compra. "O cliente define até onde quer levar o valor da bicicleta", salienta.

Pub Study Abroad Portugal
Pub FCH_2019
Pub ENEGI2019
Últimas - Pancadas
Pancadas
19 Agosto 2019

Diz-se por aí que esta é uma estação tramada para acelerar corações e soltar borboletas na barriga. Mas nem todas as paixões são iguais: trazemos-te, pelo menos, quatro tipos diferentes. 

Pancadas
18 Junho 2019

A FORUM encontrou o Cupido num baile de Santo António. O aspeto não era dos melhores: olheiras, cabelo desgrenhado e até uma insólita barba de três dias. O “cestinho das setas”, como lhe chamou, estava quase vazio e essa pode mesmo ser a explicação. “Férias?! No verão, não consigo sequer respirar. Disparo, em média, setas de três em três segundos”.

Pancadas
22 Junho 2018

Não se enganem, meus caros. Se o verão tivesse insta, passaria 23 horas por dia a fazer posts e stories: pores do sol na praia, gelados artesanais no jardim, petiscos na esplanada ou saltos para a piscina. Teremos dados móveis para isto tudo? Observei as estrelas para encontrar a resposta.