“Sinto que tomei a decisão certa ao optar pelo Ensino Profissional”

  

Foto Andreia1 2

Foi há 9 anos que a Talent Manager da La Redoute, Andreia Agostinho, terminou o seu curso profissional, sendo que, hoje em dia, trabalha ainda na empresa onde realizou o último estágio curricular. Para Andreia, a experiência neste tipo de ensino “não podia ter sido melhor”.

 

Qual a razão pela qual escolheste o Curso Profissional Técnico de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade - Escola Profissional de Rio Maior?
Quando terminei o 3º Ciclo, a EPRM e, especificamente, o Curso Técnico de Marketing, Relações Públicas e Publicidade foram a minha única escolha. Além de ser uma escola de referência, com profissionais muito competentes, sabia que me prepararia para o mercado de trabalho, caso não tivesse a oportunidade de prosseguir com os estudos académicos.

Face às tuas expectativas, como avalias a tua experiência nesse curso? Que mais-valias retiraste?
A minha experiência não podia ter sido melhor. Considerei os módulos bastante interessantes e práticos, o que despertava em mim cada vez mais interesse pela área.
Além disso, o facto de podermos ter ainda o contacto com o mercado de trabalho, através dos estágios foi, sem dúvida, muito enriquecedor. O último estágio foi realizado na La Redoute e posso dizer que hoje, passados 9 anos, sou Talent Manager de consultores na mesma empresa.

Depois do curso profissional, decidiste prosseguir estudos no Ensino Superior com uma licenciatura e um mestrado, na mesma área. Qual a relevância, nesse contexto, das aprendizagens que fizeste no âmbito do Ensino Profissional?
Na minha opinião, existe um estereótipo relativamente aos alunos que tiram cursos técnicos e, posteriormente, querem prosseguir estudos no Ensino Superior, pelo facto da aprendizagem ser mais direcionada para uma área específica. Posso dizer que senti-me em vantagem quando ingressei no Curso de Relações Púbicas e Comunicação Empresarial na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa, onde as médias são altas e o ensino é bastante exigente. No primeiro ano do Curso, parte dos conteúdos das disciplinas teriam sido dadas no ensino profissional, o que fez com que me sentisse a consolidar conhecimentos. 

Atualmente, estás inserida no mercado de trabalho. Os ensinamentos do curso profissional continuam a ser relevantes?
Claramente. A função que exerço hoje exige uma capacidade muito grande de comunicação e de versatilidade para diversos ambientes. Para além disso, continuo a estar ligada a organização de eventos, e este facto deve-se sem dúvida à aprendizagem no curso e exposição que houve do meu Projeto Final de Curso (PAP), que se tratou de um desfile de moda, à qual toda a organização e operacionalização foi feita por mim.

Há mais alguma dimensão, para além da profissional, em que sintas que o Ensino Profissional foi uma mais-valia?
Senti que parte dos valores e força de trabalho que tenho hoje aprendi junto de todos os profissionais da EPRM, sejam os professores e os funcionários. Na EPRM fomentam a cooperação entre alunos, apoiam ao máximo e incentivam os mais desmotivados, ensinam que com esforço e dedicação podem ser reconhecidos no mercado de trabalho e terem as oportunidades que procuram. Envolvem todos os alunos num conjunto de iniciativas ao longo do ano, bastante enriquecedoras e hoje sinto que tomei a decisão certa ao optar por este ensino.