Esta arte não é (só) para velhos

  

BeFunky Collage

Ao longo da história, várias personalidades se destacaram, muito cedo, pela sua capacidade de escrita. Muitos publicaram romances, ainda antes do vigésimo aniversário. Conheces alguns destes casos? 

Arthur Rimbaud (16 anos)
As obras mais famosas de Rimbaud foram produzidas durante a adolescência. De resto, uma foto sua com 17 anos é a imagem icónica associada a este poeta. Pouco depois de fazer 20 anos, contudo, o jovem abandonaria mesmo a poesia. Durante a sua produção, Arthur Rimbaud influenciou definitivamente a literatura moderna, introduzindo elementos surrealistas no seu trabalho – um movimento que ganharia corpo alguns anos mais tarde. O seu primeiro poema foi publicado aos 16 anos e intitulava-se Les Étrennes des orphelins (“Os órfãos”).

Jorge Amado (18 anos)
Dono de uma obra composta por quase quarenta romances publicados, o escritor brasileiro começou cedo a sua produção literária. Aos 18 anos, em 1931, era publicado “O País do Carnaval” – um livro que seria, seis anos mais tarde, queimado em praça pública, por imposição do Estado Novo brasileiro que censurou a obra. Já antes deste romance, Jorge Amado tinha publicado um livro de poemas (“A luva”) e uma novela (“Lenita”). Contudo, o escritor optou por não incluir estes títulos no grupo das suas obras.

Anne Frank (15 anos)
O célebre e trágico caso de Anne Frank foi apenas um dos muitos que se registaram, durante o Holocausto, sendo que as suas palavras colocaram em evidência o sofrimento vivido durante o maior genocídio do século XX. Depois de, no seu 13.º aniversário, receber como prenda um diário, rapidamente, a vida de Anne Frank se transformou: a sua família fugiu à perseguição nazi, mudando-se para Amsterdão e vivendo escondida num quarto oculto. Anne Frank morreu em 1945, com apenas 15 anos, no campo de concentração de Auschwitz.

Mary Shelley (19 anos)
A autora de “Frankenstein”, publicou o seu primeiro poema aos 10 anos de idade. A sua obra-prima, contudo, chegaria alguns anos depois. Com 19 anos, Mary Shelley passou um verão com o poeta Byron e mais alguns convidados, na Suiça. Acabou por ser Byron a despertar a criatividade de Mary, ao propor que cada um escrevesse uma “história de fantasmas”. Depois da ideia inicial, a escritora acabaria por publicar o livro em 1818, com 21 anos, com este romance a ser considerado um dos livros fundadores da escrita ficção científica.